sexta-feira, 6 de maio de 2011

Resenha: Bestiário de Arton

Não é novidade para aqueles que acompanham o blog o meu apreço pelo cenário nacional Tormenta. Sei que tem muita gente que não gosta mas pra mim ele sempre foi um dos melhores cenários. Mesmo porquê eu o acompanho desde a sua mais tenra criação nas páginas da extinta revista Dragão Brasil. Depois de mais de uma década o cenário ganhou grandes proporções, tem um sistema próprio (com licença D20) e o título de o cenário mais jogado do Brasil. Muitos criticam dizendo que o cenário é muito infantil, muito mangá. Eu discordo plenamente. Pra mim o grande barato de Tormenta é justamente ser um cenário que pode se adequar tanto ao público mais novo quanto a galera mais old school. Isso tudo depende da cara que o mestre dá ao cenário. Mas enfim, eu hoje gostaria de apresentar aos leitores um dos suplementos mais aguardados do novo Tormenta RPG (TRPG), o Bestiário de Arton.

Arton é o continente que serve de pano de fundo para o cenário de Tormenta, e como todo bom cenário de fantasia medieval tem suas características e criaturas próprias.

1º Livro dos Monstros de Tormenta
Há alguns anos atrás foi lançado (pela editora daemon se não me engano) o livro Guia dos Monstros de Arton, que trazia mais de 300 criaturas entre mosntros clássicos como (orcs, goblins, kobolds) e criaturas icônicas do prórpio mundo de Arton (como o carrasco de lena, as feras-cactus, os gafanhotos-tigre). O livro era muito bom contudo não tinha regras para D&D pois o sistema D20 ainda não existia na época. Este manual trazia regras para o sistema daemon e 3d&T. Eu o utilizei bastante ao longo dos anos como farol para orientar as adaptação que eu fazia para as regras de D&D.

Contudo agora no final de Abril, conforme já havia sido prometido, a Jambô Editora lançou o Bestiário de Arton, o mais novo livro de criaturas para Tormenta RPG.

Recebi o meu exemplar ontem, já pude dar uma boa olhada e fazer uma análise crítica do livro.

Como todos o materiais de Tormenta o livro é em papel simples (off-set) e preto e branco. Acho que ainda vai demorar muito até podermos ter livros nacionais coloridos.
Com relação à capa uma grande sacada da Jambô foi fazer este livro com duas versões de capa. Você pode obtê-lo na opção brochura (capa mole, mais barata) ou na opção capa-dura. O legal disso é que eles puderam manter um dos diferenciais dos livros de Tormenta - que é ser barato e acessível - e atender um público mais fiel e que está disposto a pagar um pouquinho mais caro por uma edição de luxo (o meu caso). Mas em suma, a capa ficou bem legal com a imagem do Dragão Azul ilustrado por Rod Reis.

A encadernação parece ser boa (vamos ver com o uso) e a diagramação está bem limpa e o livro tem um visual bem "clean".

Com relação ao conteúdo, em geral achei muito bom. Apesar de o Trio Tormenta não gostar do D&D 4E, nota-se que algumas idéias dos livros da 4ª edição foram aproveitas. Isso no que diz respeito a apresentar várias exemplares do mesmo monstro. Por exemplo, na parte dos goblins, não vemos apenas o exemplar padrão da raça  (o famoso verdinho bucha de canhão que trucidamos aos montes), mas vemos algumas outras classes de goblin, como o goblin chefe, o goblin xamã. Isso, além de facilitar o trabalho do mestre aferece mais opções de surpreender os jogadores.

Um ponto negativo do livro, pelo menos pra mim, é que o livro assim como alguns outros suplementos já lançados, tem trazido material antigo já publicado, apenas atualizado para as regras do novo Tormenta RPG. Isso deve ser bacana pra quem está conhecendo o cenário agora, mas pra gente como eu, que o companha desde sempre é meio frustrante.

Outra coisa que senti falta foi de mais monstros icônicos do cenário. Não vi os gafanhotos-tigre, Abelhas-grifo, Corcel do Deserto, Mastins de Megalon, Thumarkhân e outros monstros tão legais. Na realidade o livro tem muito mais criaturas genéricas do que crituras específicas do cenário. No entante acho que isso por hora não é um demérito, já que os autores já haviam anunciado no fórum da Jambô que o bestiário terá outros volumes.

Quanto as figuras, esse livro se destaca por conter um número maior de ilustrações novas, mas ainda prevelace uma maioria de imagens antigas. Fazer o quê? a tiragem do livro não paga pelos custos de muitas ilustrações novas. Mas quero deixar aqui a minha indignação... Pagar pela imagem de uma Aparição (que ficou muito boa, mas é um montro bem genérico) e deixar o Carrasco de Lena (um dos monstros mais icônicos do cenário) com aquela figurazinha véia? Por favor né galera???? Acho que ele merecia uma nova roupagem. Nos próximos volumes do bestiário vocês bem que podiam dar uma preferência maior para ilustrações dos monstros próprios do cenário.
O bom e velho Gafanhoto-Tigre.
Ótimo para acabar com lavouras...
Melhor ainda para dizimar heróis...
Pena que deixaram ele de fora do livro.
No geral achei o livro muito bom para um primeiro volume, contudo espero sinceramente que os próximos saiam sem demora e com os monstros do cenário. Para quem gosta de tormenta é um livro indispensável.

Se você gostou e quiser comprar e ele está a venda no site da Jambô com frete grátis. E quem já tiver comprado, comente aqui as suas impressões sobre o livro.

Rafael Thomaz (triste por ainda não poder retalhar meus jogadores com uma pantera do vidro)

3 comentários:

  1. Opa, valeu pela resenha, Rafael!

    ResponderExcluir
  2. Só um adendo, essa ideia de versões do mesmo monstro existe desde o 3.5

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, vai tornar as aventuras mais desafiadoras!

    ResponderExcluir